Trabalho de Conclusão de Curso

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

Dispõe sobre as ações que regulamentam a Disciplina de Trabalho de Conclusão de Curso do Bacharelado em Tecnologias da Informação e Comunicação da Universidade Federal de Santa Catarina

Capítulo I – DA CONCEPÇÃO DO CURSO, DO PROFISSIONAL E DO TCC

Art. 1º – O Bacharelado em Tecnologias da Informação e Comunicação – TIC é um curso de computação aplicada, que visa formar profissionais capazes de solucionar problemas que envolvem a utilização de Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) em organizações. As soluções poderão ter uma ênfase em sistemas de informação, negócios ou aspectos ligados à educação e cultura.

Art. 2º – O Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) apresenta-se como uma das ações empreendidas durante a formação acadêmica e profissional dos alunos e cujos princípios norteadores estão presentes no Plano Pedagógico do Curso. O PPC é o principal artefato orientador das ações acadêmicas, quais sejam: Ensino, Pesquisa e Extensão que conferem ao aluno, não só um corpo de conhecimentos, mas também habilidades imprescindíveis à sua formação e à sua atuação profissional.

Art. 3º – O TCC é uma atividade acadêmica, obrigatória para todos os discentes do curso de TIC. O desenvolvimento do TCC se dará em uma única etapa, efetivada por intermédio da disciplina TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC), com carga horária de 72 horas-aula.

Art. 4º. O objetivo geral do Trabalho de Conclusão de Curso é propiciar aos alunos as condições necessárias para a elaboração de um estudo teórico-prático, dentro das normas técnicas que caracterizam a pesquisa científica.

Art. 5º. São objetivos específicos do Trabalho de Conclusão de Curso:
– propiciar aos alunos a ocasião de demonstrar o conhecimento adquirido, o aprofundamento temático e o aprimoramento da capacidade de interpretação e de crítica;
– oportunizar ao aluno a possibilidade de vivenciar na prática o contexto do trabalho na área de Tecnologia da Informação e Comunicação e de adquirir experiência no processo de iniciação científica;
– aprofundar os conhecimentos em uma ou mais áreas do Curso.

Capítulo II – DA MATRÍCULA

Art. 6º. – A matrícula em TCC está condicionada ao discente já ter cumprido no mínimo 58.75%% da carga horária total do curso, ou seja, 1692 ha e ter sido aprovado nas disciplinas de Gestão de Projetos (ARA7210) e Elaboração de Trabalhos Acadêmicos (ARA7122).

Art. 7º. – O período de matrícula na disciplina de TCC deverá obedecer ao calendário acadêmico da UFSC.

Art. 8º. – Por ocasião da matrícula, o aluno deve encaminhar à secretaria do campus formulário específico preenchido, o qual será usado para deferimento ou não de sua matrícula.

Capítulo III – DOS ORIENTADORES, DOS ORIENTANDOS E DO SUPERVISOR DE TCC

Art. 9º. – A disciplina de TCC será de responsabilidade do Supervisor de TCC, o qual será um docente vinculado ao curso de Tecnologias da Informação e Comunicação, escolhido em reunião Ordinária do Colegiado, com mandato de um ano, podendo ser prorrogado por igual período.
§ 1º. O Supervisor de TCC terá integralizado em sua carga horária semestral o número de horas aula referente à disciplina de TCC (72ha).
§ 2º. Pelo menos 24 h/a da disciplina de TCC deverão ser utilizadas pelo professor de TCC para a orientação dos alunos quanto à definição do tipo de Trabalho de Conclusão de Curso, na elaboração do respectivo Projeto de TCC, definição do orientador e outras atividades relevantes.

Art. 10. – Compete ao Supervisor do TCC:
I. Elaborar todo e qualquer documento normatizador necessário ao estabelecimento da comunicação entre alunos, orientadores e o supervisor de TCC;
II. Dar ciências aos alunos, das normas do TCC e respectivo regulamento;
III. Elaborar o Plano de Ensino de TCC, baseado no calendário institucional em vigor;
IV. Organizar e homologar as bancas de TCC;
V. Receber os documentos do TCCs, incluindo o TCC final;
VI. Avaliar a metodologia dos TCCs;
VII. Distribuir o documento final para os membros das bancas.

Art. 11. – A orientação do TCC é uma atividade docente, entendida como acompanhamento teórico, metodológico e técnico, desde a elaboração do projeto até a conclusão do TCC, incluindo a apresentação em banca e a entrega da versão final.

Art. 12. – Compete ao orientador de TCC:
I. Articular-se com o supervisor de TCC, quanto ao uso da metodologia, bibliografias, formulários de acompanhamento, bem como sobre outros assuntos pertinentes ao bom desempenho do TCC;

II. Orientar e acompanhar técnica e pedagogicamente o aluno do processo de elaboração do projeto até a conclusão do TCC;
III. Participar dos processos de avaliação, conjuntamente com o supervisor de TCC, dos trabalhos sob sua orientação;
IV. Verificar e garantir que todas as correções sugeridas pela banca tenham sido realizadas;
V. Comunicar ao supervisor do TCC a ocorrência de fatos relevantes ao processo de orientação;
VI. Indicar e comunicar ao supervisor do TCC os nomes dos integrantes da Banca Examinadora;
VII. Apreciar e avaliar outros TCCs, caso convocado;
VIII. Presidir Banca(s) Examinadora(s) do(s) TCC(s) sob sua orientação.

Art. 13. – O TCC será obrigatoriamente realizado sob a orientação de um professor orientador. O orientador será escolhido por entendimento direto entre os alunos e professores, com a ajuda do Supervisor de TCC caso necessário.

Art. 14. – O orientador de TCC deve ser professor do quadro permanente do Campus Araranguá.
§ 1º – O professor pode estar formalmente vinculado como Orientador de no máximo 4 (quatro) trabalhos por semestre.
§ 2º – Para cada aluno orientado será alocada 1 hora de orientação no PAAD.

Art. 15. – A orientação do TCC pode ser realizada em colaboração com outro professor, denominado de co-orientador. Esse colaborador pode ser qualquer professor de área afim ao projeto, externo ou da própria universidade. Não será alocada hora de orientação ao co-orientador.

Art. 16. A substituição do professor orientador só é permitida quando outro docente assumir formalmente a orientação, mediante aceitação do professor substituído ou por determinação do supervisor de TCC.

Art. 17. – Compete aos alunos:
I. Escolher um Professor Orientador, levando em consideração os prazos estabelecidos no Cronograma do TCC;
II. Definir um tema de TCC, em conjunto com o Professor Orientador;
III. Elaborar e cumprir o plano de TCC;
IV. Conhecer e cumprir as normas deste regulamento;
V. Cumprir o calendário da disciplina de TCC;
VI. Cumprir as determinações e exigências do Professor Orientador, pertinentes às atividades desenvolvidas no TCC;
VII. Participar das reuniões de acompanhamento de orientação;
VIII. Comparecer em dia, local e horário determinado para apresentar o TCC;
IX. Fazer as alterações sugeridas pela Banca Examinadora.

§ 1º. Na situação em que não houver professor que se disponha a assumir a orientação do aluno, este deverá procurar o supervisor de TCC, a fim de que o mesmo indique um orientador.
§ 2º. Na indicação de orientadores, o supervisor de TCC deverá levar em consideração, sempre que possível, os objetos de estudo dos professores e a distribuição equitativa de orientandos entre eles.

Art. 18. – A responsabilidade pela elaboração do TCC é integralmente do aluno, o que não exime o orientador de desempenhar adequadamente, dentro das normas definidas neste regulamento, as atribuições decorrentes da sua atividade de orientação.

Parágrafo Único – O não cumprimento, pelo aluno, deste Regulamento autoriza o professor a desligar-se dos encargos de orientação, através de comunicação oficial ao supervisor de TCC.

Capítulo IV – DA METODOLOGIA DO TCC

Art. 19. A elaboração do TCC compreende as seguintes etapas:
I – Elaboração de projeto de TCC;
III – Desenvolvimento, elaboração e apresentação da versão final do TCC.

Art. 20. – O TCC do curso de Tecnologias da Informação e Comunicação pressupõe as seguintes características:
I. Ter embasamento teórico com disciplinas e/ou conteúdos abordados ao longo da realização do curso;
II. Ter aplicabilidade prática como um projeto de Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) ou contribuição científica relevante;
III. Possuir preferencialmente caráter interdisciplinar no próprio curso e/ou com outras áreas de conhecimento.

Art. 21. – Os projetos de TCCs podem ser construídos a partir de:
I. Temas propostos pelos professores ou por alunos, desde que em concordância com as partes envolvidas.
II. Projetos de Iniciação Científica ou Extensão realizados nos anos anteriores ao TCC;
III. Trabalhos realizados durante o período de realização do Estágio Obrigatório.

Art. 22. – Os projetos de TCCs que forem propostos a partir de ações de Pesquisa, Extensão ou atividades de Estágio Obrigatório devem deixar claro quais os resultados obtidos até o momento, assim como o ponto a partir do qual o TCC irá continuar. Deve ficar explícito que se trata de continuação e não da replicação de um projeto já realizado.

Art. 23. – Os TCCs poderão ser realizados em equipes de até 2 (dois) componentes, mediante aceite do professor orientador.

Parágrafo único: A avaliação do TCC será realizada individualmente.

Capítulo V – DA AVALIAÇÃO DO TCC

Art. 24. – Durante o TCC, o aluno deverá entregar ao orientador, de acordo com as datas estipuladas no Cronograma de TCC, relatórios mensais contendo informações detalhadas acerca das pesquisas e estudos realizados no período respectivo.
Parágrafo único: O orientador deverá emitir um parecer sobre o andamento do trabalho e registrar as faltas às reuniões de orientação em documento próprio, encaminhando-o ao supervisor de TCC no prazo de dois dias letivos, após receber o relatório do aluno.

Art. 25. – Ao final do semestre, conforme prazos estipulados no Cronograma do TCC, o Orientador deverá solicitar ao supervisor de TCC, através de formulário próprio, o agendamento da apresentação em banca dos TCCs de seus orientandos.
§ 1°. Para o agendamento da banca do TCC o aluno deve:
a) Ter cumprido os prazos estipulados no Cronograma de TCC e obtido freqüência igual ou superior a 75%;
b) Ter recebido parecer favorável do orientador, em formulário próprio, onde conste que o aluno obteve o aproveitamento mínimo na elaboração de seu TCC.

Art. 26 – São condições necessárias para a aprovação na disciplina de TCC:
I. Obter Nota Final, que será atribuída pela Banca Examinadora, igual ou superior 6,0 (seis) na defesa da monografia;
II. O discente deverá entregar ao Supervisor do TCC um número de cópias da monografia, em períodos definidos segundo o calendário do TCC para ser enviadas para: a biblioteca do Campus Araranguá, membros da Banca Examinadora, quando estes requisitarem, e eventuais órgãos de fomento ou parceiros que de algum modo apoiaram o projeto.
III. Conforme legislação vigente, não cabe recuperação no TCC.

Art. 27 – A Banca Examinadora será composta por:
I. Orientador e co-orientador (caso exista);

II. Dois examinadores, sendo necessariamente um professor vinculado ao curso de Tecnologias da Informação e Comunicação;
III. Um suplente que substituirá um dos membros efetivos em casos de ausência ou impedimento.
Parágrafo único – O presidente da banca será o orientador do trabalho, na
ausência do mesmo o co-orientador assumirá a presidência.

Art. 28 – Na avaliação do TCC os membros da Banca Examinadora preencherão um formulário padrão de avaliação.
§ 1º – Os membros da Banca Examinadora deverão atribuir ao TCC, individualmente, notas de 0 (zero) a 10 (dez), calculadas a partir das notas lançadas em cada formulário de avaliação.
§ 2º – A Nota Final será calculada pela média aritmética das notas atribuídas pelos membros da banca, sendo que uma das notas será do orientador ou do co-orientador.

Art. 29 – Após a apresentação do TCC, o discente tomará ciência do resultado na forma de aprovado, aprovado com restrições ou reprovado.
Parágrafo único: A aprovação com restrições conduz o projeto para um processo de correção dos aspectos apontados pela banca como falhos. Para realizar as correções sugeridas, o aluno terá um prazo máximo de 15 (quinze) dias corridos.

Art. 30 – Compete à Banca Examinadora:
I. Avaliar de maneira impessoal os trabalhos de TCC;
II. Preencher os formulários de avaliação.

Art. 31 – A defesa do TCC será aberta ao público e deverá ocorrer nas dependências da UFSC, preferencialmente no Campus Araranguá.

Art. 32 – A defesa do TCC obedecerá a seguinte seqüência:
I. Abertura das atividades pelo Presidente da Banca Examinadora;
II. Apresentação oral do trabalho com duração máxima de 30 (trinta) minutos. Caso o trabalho tenha sido realizado em dupla, cada aluno terá 30 minutos para a apresentação;
III. Período de argüição pelos membros da banca com duração de no máximo 50 (cinqüenta) minutos;
IV. Deliberação sobre as correções necessárias e menções pela Banca Examinadora.

Art. 33 – O orientador de TCC deverá encaminhar os formulários de avaliação, devidamente preenchidos e assinados para o supervisor do TCC.

Capítulo IX – DISPOSIÇÕES FINAIS

Art. 34 – Eventuais contestações que dizem respeito ao resultado da avaliação da Banca Examinadora da disciplina de TCC devem ser encaminhadas, na forma de recurso, para o Colegiado do Curso de Tecnologias da Informação e Comunicação, que julgará sua pertinência e tomará as medidas cabíveis que se façam necessárias.
§1º O recurso deverá ser encaminhado em até 5 (cinco) dias úteis, após a divulgação do resultado.
§2º. O Colegiado se reunirá em caráter Extraordinário para deliberar sobre o recurso. Caso o recurso seja acatado, o discente fará uma nova apresentação num prazo não superior a 10 (dez) dias a contar da data da deliberação do mesmo.

Art. 35 – Os casos omissos serão resolvidos pelo Colegiado do Curso de Tecnologias da Informação e Comunicação.

Art. 36 – Este regulamento entrará em vigor após sua aprovação pelo Colegiado do Curso de Tecnologias da Informação e Comunicação.

Este regulamento foi aprovado em Reunião Ordinária do Colegiado do Curso de Tecnologias da Informação e Comunicação em 11.05.2011 e alterado na Reunião Ordinária do dia 09 de novembro de 2011 por unanimidade.